O que é Balanced Scorecard (BSC) – Parte I

O que é Balanced Scorecard (BSC) – Parte I

O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia de medição e gestão de desempenho que foi descrita pela primeira vez em 1992 na Revista Harvard Business Review por Robert S. Kaplan e David P. Norton.

O termo “scorecard” significa quantificar o desempenho através de indicadores e o “balanced” significa que o sistema proposto leva em conta o balanceamento entre: (Magalhães, 2004)

– objetivos de curto prazo e de longo prazo;

– indicadores financeiros e não-financeiros;
– indicadores de ocorrência ou medidas de resultado e indicadores de tendência ou vetores de desempenho; e
– desempenho interno e externo.
A funcionalidade do BSC visa à melhoria dos  processos internos  e externos de uma organização, valorizando o cliente e o aumentando de capacidade de aprendizagem e o crescimento da organização. Além disso, contribui significativamente para que a organização tenha a habilidade de traduzir sua estratégia em ações e em acompanhar os resultados destas ações (Kaplan, 2004).

Conceitos e Metodologias

A metodologia do BSC pressupõe que a escolha dos indicadores para administrar uma organização não deve se restringir a informações econômicas ou financeiras, pois também é necessário monitorar as perspectivas relacionadas ao mercado, aos processos internos e as pessoas.
Os objetivos e medidas são  determinados a partir do estabelecimento da missão, visão e estratégia da organização, que é o primeiro passo de muitos outros, como por exemplo, a descoberta deste desencadeia as metas e as iniciativas em objetivos associados aos acionistas, clientes, negócios e aprendizado.
Para se chegar aos objetivos, indicadores, metas e iniciativas que compõem o BSC, deve-se considerar as seguintes questões:
Financeira:
“Para sermos bem sucedidos financeiramente, como deveríamos ser vistos pelos nossos acionistas?”
Cliente:
“Para alcançarmos nossa visão, como deveríamos ser vistos pelos nossos clientes?”
Processos Internos:
“Para satisfazermos nossos acionistas e clientes, em quais processos de negócios devemos alcançar a excelência?”
Aprendizado e Crescimento:
“Para alcançarmos nossa visão, como sustentaremos nossa capacidade de mudar e melhorar?”
Um BSC bem elaborado deve contar a história de uma unidade de negócios, identificando as relações de causa-e-efeito entre os seus resultados, e servir como elemento comunicador do significado da estratégia à organização.

bsc
Figura 1

A seguir, serão apresentados exemplos de alguns objetivos estratégicos e seus respectivos indicadores, divididos em cada uma das quatro perspectivas do Balanced Scorecard (BSC).


Perspectiva Financeira

A Perspectiva Financeira destina-se a responder as questões sobre como os acionistas vêem a organização e de quais são os objetivos financeiros que deverão ser alcançados do ponto de vista deles. Os objetivos específicos dependem do estágio em que se encontra a organização no ciclo de vida dos negócios, por exemplo:
– Estágio de Crescimento – o objetivo é o crescimento, o qual deve ser alcançado pelo incremento do faturamento;
– Estágio de Sustentação – o objetivo é a lucratividade, a qual é medida pelos indicadores ROE, ROCE e EVA;
– Estágio da Colheita – o objetivo é o controle do fluxo de caixa e a redução da necessidade de capital.


Perspectiva Cliente

A Perspectiva Cliente destina-se a responder a questão sobre como a organização é vista pelos seus clientes e o quão bem ela atende as necessidades destes clientes dentro de seus objetivos financeiros.


Perspectiva Processo Interno

Os indicadores da Perspectiva Processo Interno destinam-se a responder a questão de quais são os processos críticos para satisfazer os clientes e acionistas da organização. São nestes processos que a organização deve concentrar seu esforço para atingir a excelência.


Perspectiva Aprendizado e Crescimento

Os indicadores da Perspectiva Aprendizado e Crescimento destinam-se a responder a questão de como a organização deve aprender, aperfeiçoar e inovar para que possa atingir seus objetivos estratégicos.
No próximo texto vamos descrever a implementação do BSC e os problemas potenciais.

Compartilhe isso:

Share on facebook
Share on twitter

Você também vai gostar desses posts

GERALDO VEIGA

Diretor Executivo da Duplo Foco

Diretor Executivo da Duplo Foco
Construiu sua carreira profissional entre São Paulo e Rio de Janeiro, nas áreas de serviços Financeiros, Construção Civil, Bens de Consumo, Telecomunicações e Tecnologia da Informação. Possui mais de 25 anos de atuação empresarial definindo e implantando ações de estratégias empresariais em Marketing e Finanças. Administrador pela Escola Superior de Administração de Negócios (FEI-SP), com MBA em Marketing de Serviços e MBA em Gestão de Negócios TI pela FGV-RJ. É Mestre em Administração de Empresas pelo Ibmec-RJ (MsC) com especialização pela UFRJ- Coope-Crie em Web Intelligence e Analítica de Dados. Atualmente produzindo artigos na linha de pesquisa do campo da gestão e visualização de dados para empresas e novos produtos.

ALCANCE SEUS OBJETIVOS E APRIMORE
A GESTÃO DA SUA EMPRESA
%d blogueiros gostam disto: