Loading...
4 de abril de 2019

Metalsul, exemplo de execução de ações diante de um Planejamento Estratégico realizado

Sindicato das Indústrias Metalmecânicas do Médio Paraíba Fluminense aposta na prestação de serviços para manter quadro de associados ativos

O fim da contribuição compulsória do chamado imposto sindical trouxe uma nova realidade para os sindicatos brasileiros, tanto de trabalhadores como patronais. Para uns, a desobrigação do pagamento do imposto fará com que a maior parte dos sindicatos simplesmente feche as portas, sufocada pela falta de recursos. Para outros, trata-se de uma excelente oportunidade das entidades se reinventarem e modificarem suas relações com os associados, apostando no associativismo.

Os números realmente são assustadores. Estima-se que nada menos do que 70% da arrecadação dos sindicatos provém da contribuição sindical, que até a reforma trabalhista era obrigatória. No primeiro ano da reforma trabalhista, segundo levantamento feito pelo jornal O Estado de São Paulo, os sindicatos perderam, em média, 90% do montante arrecadado com o imposto. Dados oficias mostram que a arrecadação do imposto caiu quase 90%, de R$ 3,64 bilhões em 2017 para R$ 500 milhões no ano passado.

METALSUL, EXEMPLO DE ATUAÇÃO DIANTE DESSA NOVA REALIDADE

O que os sindicatos devem fazer diante dessa realidade nua e crua? Se reinventar, oferecer aos seus associados uma gestão atrativa, com representatividade e produtos e serviços, fazendo valer à pena a contribuição mensal. Para cobrar, é preciso oferecer algo que tenha valor, que valha à pena. O Metalsul – Sindicato das Indústrias Metalmecânicas do Médio Paraíba Fluminense – é um excelente exemplo de como enfrentar essa nova realidade, atraindo e fidelizando associados, o que é fundamental para uma entidade sindical. Localizado em Volta Redonda e fundado em 1982, a partir da associação de empresas regionais dos segmentos de siderurgia, metalurgia, mecânica e equipamentos de informática e eletroeletrônicos, o Metalsul conta, hoje, com 200 empresas associadas, sendo uma das maiores entidades sindicais patronais do estado do Rio de Janeiro em seu segmento.

Em 2017, a entidade já havia percebido a necessidade de se reinventar, diante de um quadro penoso: as empresas estavam deixando de pagar a contribuição assistencial mensal, não obrigatório, por conta da crise que castigava o setor produtivo nacional.

– Diante da crise, a primeira iniciativa é cortar custos. As empresas estavam começando a parar de pagar o sindicato, e isso começou a afetar o nosso faturamento. Nossa diretoria entendeu que era preciso fazer algo diferente, oferecendo produtos e serviços que agregassem valor aos nossos associados – afirma a presidente do Metalsul, Adriana Cristina Silva Luiz.   

EM BUSCA DE NOVOS CAMINHOS, METALSUL PARTICIPA DA APL METALMECÂNICO DO MÉDIO PARAÍBA

O Metalsul é uma das entidades que compõem a governança do Arranjo Produtivo Local (APL) Metalmecânico do Médio Paraíba, ao lado da Firjan, Sebrae/RJ e do governo do Estado do Rio de Janeiro (Secretaria de Desenvolvimento). O APL reúne empresas da região com o objetivo de fomentar o desenvolvimento e fortalecer o setor por meio de ações de formação profissional, capacitação empresarial, acesso a novas tecnologias e informações. Essa realidade tem feito toda a diferença, permitindo à entidade parcerias fortes e recursos para ações que apontem na direção dos anseios dos associados.

Entre outros pontos, o APL trabalha o acesso ao mercado, facilita o associado a encontrar novos mercados, capacita profissionalmente as empresas e o chão de fábrica, investe em tecnologia e inovação e fortalece o associativismo. A presidente do Metalsul diz que os resultados começam a aparecer, e cita a criação de uma plataforma digital que reunirá dados de inventário de universidades, entidades e empresas, disponibilizados para fomentar parcerias. A ferramenta está em fase final de criação. O sindicato também passou a oferecer uma série de outros produtos e serviços, como convênios, cursos profissionalizantes, palestras e workshops, entre outras ações que agregam valor à contribuição sindical espontânea dos associados.

Para fazer valer tantas mudanças, a entidade realizou para 2018 um planejamento estratégico, que ficou a cargo da DUPLO FOCO. O objetivo, segundo Adriana, foi traçar objetivos, organizar as estratégias, pensar em como torná-las realidade e executá-las. A entidade já havia recorrido a esse recurso anteriormente, então sabia do seu valor:

– É preciso ter um direcionamento, um norte. O planejamento estratégico é importantíssimo porque nos permite traçar uma estratégia, o que será feito, por quem, em que tempo e como. A gente planeja, implementa, executa e acompanha. Tem que se organizar, senão nada acontece. A DUPLO FOCO nos acompanhou e deu o direcionamento do trabalho. Tínhamos ideias, que foram aprofundadas e organizadas nesse plano estratégico. Realmente é uma ferramenta importantíssima – garante Adriana.

DUPLO FOCO CRIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O SINDICATO

O desenvolvimento do planejamento estratégico para o Metalsul por parte da DUPLO FOCO começou com uma discussão mais aprofundada sobre a APL e um amplo levantamento sobre o que existia e o que precisava ser retrabalhado na entidade.

Foram definidos como focos estratégicos o fortalecimento do associativismo, o desenvolvimento de um modelo de gestão, a elaboração do plano de relacionamento e comunicação do APL, o fomento de uma política industrial regional e o acesso a mercados. Em seguida, uma agenda de trabalho foi criada para avaliar e validar os focos estratégicos, avaliar as ações anteriores, propor novas ações e estruturar um plano de ação, para garantir a implantação das novas medidas.

COMO FOI DESENVOLVIDO?

Foram elencadas dez áreas temáticas a serem desenvolvidas: Eventos, Educação, Capacitação, Associativismo, Marketing e Vendas, Infraestrutura, Administração de Recursos, Políticas Públicas, Comunicação Interna e Novos Projetos. As ações foram estruturadas e definidos os responsáveis, quando e como implementá-las e com quais recursos.

Por fim, foi proposta a gestão à vista, ponto chave para se garantir a implantação do plano de ação (Gestão Sistematizada de Resultados e medição de resultados). A gestão à vista é fundamental e imprescindível para que a implantação do plano estratégico aconteça de fato (execução) e que suas ações gerem resultados satisfatórios.

Postura

A partir da reforma trabalhista, o Metalsul perdeu em torno de 60% da receita com a contribuição sindical. Mas mantem-se firme e forte, representando o setor Metalmecânico no Médio Paraíba, estimulando o mercado e contribuindo efetivamente para o crescimento sustentável das empresas associadas. Ao invés de se lamentar e chorar mágoas, a entidade preferiu o trabalho.

– Estamos trabalhando, lançando produtos e serviços que agreguem valor aos nossos associados. Nós vemos o Metalsul como uma associação de empresários que têm objetivos comuns e uma ação organizada. Nunca é demais lembrar que não precisamos apenas do dinheiro do associado. É preciso que ele participe também – finaliza a presidente do Metalsul.

Tags: