Loading...
19 de fevereiro de 2015

INI/Fiocruz e Duplo Foco desenvolvem Planejamento Estratégico para Assessoria Técnica de Cooperação Internacional (ATCI) do INI

INI- FiocruzCom o objetivo de desenvolver, ampliar a rede de conhecimento e parceiros na área de pesquisa seja no âmbito de América do Sul e o continente africano sobre a linha de pesquisas de saúde pública, integrar informações sobre o risco de transmissão da dengue agilizando ações de combate à doença, entre atividades como o acompanhamento do vírus Ebola, a Duplo Foco Consultoria e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) através do INI (Instituto Nacional de Infectologia), desenvolveram o Planejamento Estratégico daquele Instituto.
Criado em 1918, o INI recebeu, ao longo de sua história, diversas denominações, sendo o primeiro (e único) hospital do Brasil construído para que o tratamento e o cuidado aos pacientes resultassem em conhecimentos científicos. Como unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) desde 1999, o INI tem como missão institucional promover ações integradas em pesquisa, ensino, assistência, serviços de referência e desenvolvimento tecnológico na área de doenças infecciosas (Doença de Chagas, Leishmaniose, HIV/AIDS, HTLV, Tuberculose, Esporotricose, Dengue, dentre outras). Em 21 de dezembro de 2010, por meio da publicação da Portaria nº 4.160 do Ministério da Saúde (MS), o INI passou a ser definido como Instituto Nacional de Infectologia (INI), cuja principal atribuição é auxiliar o MS no planejamento, coordenação, avaliação de ações integradas e na formulação de políticas no campo da Infectologia. Unidade de referência na prevenção e controle do Ebola.

 

Principais atividades

Assistência médica de referência em doenças infecciosas, incluindo consultas ambulatoriais, exames, internação hospitalar e hospital-dia. Ensino: cursos de especialização em diversos temas de doenças infecciosas, além de estágio curricular, residência médica, curso de especialização para médicos estrangeiros e programa de mestrado e doutorado acadêmicos em pesquisa clínica em doenças infecciosas. Em agosto de 2014, o INI foi indicado como centro de referência para receber casos suspeitos de infecção pelo vírus Ebola no estado do Rio de Janeiro, em resposta ao surto epidêmico que aflige populações da África Ocidental, principalmente da Guiné, Libéria, Serra Leoa e Nigéria, com perspectivas de atingir outras regiões do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Assembleia Geral e o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

O Planejamento Estratégico foi desenvolvido com vistas a aumentar consideravelmente o número de projetos de pesquisa, ensino e assistência do INI com instituições estrangeiras em relação ao ano de 2014, estabelecimento de acordos (Convênios) com Institutos de Saúde da América do Sul em 2015 e com Institutos de Saúde da África em 2015, ampliando o espectro de ação e visão da cooperação internacional.
“Buscamos integrar metodologias e análises de diversas técnicas para gerar um Plano de Ação consistente, onde poderemos interagir científica e operacionalmente com outras linhas de pesquisas e amplitude de respostas para surtos epidêmicos no Brasil e no mundo, explica Leonardo David, MSc. Analista de Gestão em Saúde – Assessoria Técnica de Cooperação Internacional- ATCI Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ.
Com base em Fatores Chaves de Sucesso como Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), Qualidade de Atenção à Saúde, Propriedade Intelectual, Estabelecimento de Parcerias, Gestão do Conhecimento, Desenvolvimento de Políticas Públicas e Infraestrutura física e tecnológica adequada, as ações operacionais de curto em médio prazo ficaram mais claras assim como o objetivo de longo prazo ficou mas desafiador. “Será realizado um conjunto de ações internas, junto à entidade organizacional afim de não medir esforços para se atingir os objetivos traçados”, destaca Leonardo David.
“Antes da Consultoria e do Planejamento Estratégico para Assessoria Técnica de Cooperação Internacional (ATCI) do INI somente sabíamos que queríamos crescer, existiam dúvidas do como e quanto crescer, o que deveria ser feito e quem faria. Com o apoio da Duplo Foco, hoje temos uma visão mais clara do negócio, com indicadores de performance efetivos que nos ajudam na tomada de decisões. De forma resumida, hoje enxergamos de forma transparente onde estamos, aonde queremos chegar em nível nacional e internacional e o que precisamos fazer para alcançar nossos objetivos institucionais”.

Leonardo David, MSc. Analista de Gestão em Saúde – Cooperação Internacional Assessoria Técnica de Cooperação Internacional- ATCI Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ.