1ª Força de Porter – Rivalidade entre concorrentes

1ª Força de Porter – Rivalidade entre concorrentes

As cinco forças de Porter; no centro destaque para a 1ª Forças de Porter, a rivalidade entre concorrentes, que tem relação com todas as outras
As cinco forças de Porter; no centro a rivalidade entre concorrentes, que tem relação com todas as outras

A 1ª Força de Porter é o ponto central do modelo de análise criado por Michael Porter, que permite mapear e entender as forças competitivas existentes em um setor de atuação. A 1ª Força acaba sendo a mais significativa delas, pois tem relação com todas as outras.

A preocupação com a concorrência tende a ser o principal foco quando se tem um negócio. De acordo com a 1ª força de Porter, os concorrentes diretos ficam mais na mira, porque geralmente podem influenciar na fatia de mercado e na quantidade de clientes que a organização pode conseguir conquistar.

Ao se falar em análise de mercado, a necessidade de analisar a concorrência é imediata: como ela se comporta, qual o impacto no seu negócio, o que fazer para se destacar. Para ter sucesso nesta análise, considerada por Porter o principal fator ou força, é importante considerar critérios como o número de concorrentes, as características de cada um, o nível de publicidade deles, e o grau de diferenciação.

Se, por exemplo, a empresa que está analisando o mercado atua no setor de calçados, deve-se entender como os outros negócios do mesmo nicho comunicam seus produtos e serviços, o que eles oferecem que os destacam perante os outros. E aí, normalmente, começa a guerra pela dominação do mercado, que influencia diretamente nas ações de marketing que são realizadas.

Entenda tudo sobre planos de marketing

Destrinchando a 1ª Força de Porter: entenda como competir com um concorrente

Toda competição de mercado beneficia os clientes que podem então optar por aquele que lhe oferece melhores condições de pagamento ou melhores preços para os mesmos produtos. Já para as empresas, caso não compreendam bem que não se trata apenas de uma disputa, isso pode ser profundamente prejudicial e até desleal.

Os principais fatores que aumentam a competição entre empresas do mesmo setor:

  • Muitos concorrentes parecidos em tamanho e potência;
  • Crescimento lento da indústria;
  • Venda do mesmo produto ou muito semelhantes;
  • Custos altos para manter o negócio.

Estes fatores podem levar as organizações a submeterem seus produtos ou serviços a preços mais competitivos ou abaixo do mercado. No entanto, com um olhar mais amplo, é possível buscar menos rivalidade no setor – menos concorrentes ou diferenças claras entre os produtos – e poder praticar preços mais altos, porque o consumidor tem menos opções e menos poder de barganha.

Conheça a melhores práticas de seu setor

Entender quem são os seus concorrentes é primordial para que se faça possível visualizar seu posicionamento no mercado frente aos demais.

Saiba como fazer um Planejamento Estratégico adequado

E concorrente não necessariamente é quem vende exatamente o mesmo produto ou serviço. A análise é mais profunda e envolve fatores como público alvo ao qual se dedicam.

Procure avaliar quem são os concorrentes diretos, mas também como as empresas estão agrupadas, se as marcas já estão consolidadas e quais as vantagens competitivas oferecidas por elas.

O que fazer para se destacar?

Pense nas grandes lojas de departamentos do Brasil. C&A, Renner, Riachuelo, Leader, entre outras, oferecem produtos variados, mas todas atendem ao setor de moda. Olhando este nicho, o consumidor tem uma variedade tão grande que não percebe a diferenciação entre elas. Por isso, a competitividade é grande.

Para se destacar, a Renner adotou a campanha “você tem um estilo, a Renner tem todos”, que busca tentar atrair todos os clientes, de todos os tipos e gostos. Investiu nas diferenças e na abrangência de estilos. Outra estratégia inteligente foi a da Leader, neste caso não a de competir exatamente com a concorrência, mas a de demonstrar preocupação e a importância do consumidor.

Nos tempos de hoje, com mudanças rápidas de cenário, o mais importante é ter visão e agilidade para se adaptar ao que mercado pede. Rever seu modelo de negócio, necessidade de pivotar, ambiente de negócios, comportamento de seus concorrentes e comportamento de seu setor.

Entendeu como implantar a 1ª Força de Porter nos seus negócios? Aprenda também como ela se relaciona com as outras forças e com o modelo de análise das 5 forças.

O que são as Forças de Porter e quem é Michael E. Porter

As Forças de Porter formam um modelo de análise usado para mapear e entender as forças competitivas existentes em um setor de atuação. Esse framework foi criado na década de 70 e ainda hoje é ferramenta importante no planejamento empresarial.

O modelo permite fazer uma análise setorial dos principais concorrentes, atores e forças que se relacionam dentro de um mercado. Ensinado em praticamente todas as formações de profissionais dos setores de administração e marketing, foi criado por Michael E. Porter, professor da universidade de Harvard.

Compartilhe isso:

Share on facebook
Share on twitter

Você também vai gostar desses posts

GERALDO VEIGA

Diretor Executivo da Duplo Foco

Diretor Executivo da Duplo Foco
Construiu sua carreira profissional entre São Paulo e Rio de Janeiro, nas áreas de serviços Financeiros, Construção Civil, Bens de Consumo, Telecomunicações e Tecnologia da Informação. Possui mais de 25 anos de atuação empresarial definindo e implantando ações de estratégias empresariais em Marketing e Finanças. Administrador pela Escola Superior de Administração de Negócios (FEI-SP), com MBA em Marketing de Serviços e MBA em Gestão de Negócios TI pela FGV-RJ. É Mestre em Administração de Empresas pelo Ibmec-RJ (MsC) com especialização pela UFRJ- Coope-Crie em Web Intelligence e Analítica de Dados. Atualmente produzindo artigos na linha de pesquisa do campo da gestão e visualização de dados para empresas e novos produtos.

ALCANCE SEUS OBJETIVOS E APRIMORE
A GESTÃO DA SUA EMPRESA
%d blogueiros gostam disto: