Por que é necessário saber executar? (parte 1)

Por que é necessário saber executar? (parte 1)

Como vimos anteriormente, para que o planejamento de uma empresa funcione. É necessário que se saiba executar; mas isso nem sempre acontece, pois falta conhecimento de como faze-lo.
Por muitas vezes e em diversas empresas como HP, Compaq, Lucent e AT&T, por exemplo, quando as promessas e planejamentos feitos não funcionaram, acabaram por atribuir o fracasso à adoção de uma estratégia errada. Entretanto, nem sempre é esse o caso. A estratégia pode sim ser o caso de um planejamento não funcionar, mas por muitas vezes na verdade a estratégia não dá certo por não ter sido bem executada.
De nada adianta ter um grande plano e uma estratégia agressiva se essas ideias não forem bem conduzidas para se transformarem em ações. Se ficar tudo no plano das ideias, nunca que a empresa e aquilo que se pretende para o seu futuro se tornará realidade. As ideias devem ser traduzidas em passos de ação concretos e bem estruturados para que ninguém se perca na sua execução.
A disciplina deve ser o cerne de todo e qualquer planejamento. Testar os conceitos, dialogar, entender o que pode ou não ser feito e o quanto vai ou não funcionar. Tudo isso é fundamental para que todos estejam alinhados em um mesmo pensamento.
Assim, vemos que a execução deve ser considerada o elemento chave na cultura da empresa; deve ser colocada como prioridade, pois é através dela que a empresa expõe a sua realidade, como funciona e o que deve ou não ser feito para que atinja os resultados esperados.
Para que seja bem entendida e assimilada por todos, é preciso se atentar aos detalhes de como o que e quem faz o que; sem entretanto se ater a pensamentos pequenos e fazer microgerenciamento.
É importante entender que executar um projeto não é o mesmo que ficar “em cima” dos que o estão fazendo. Isso diminui a vontade, criatividade e iniciativa do funcionário, fazendo com que ao invés de ajudar acabe por se virar contra a empresa.
Gerenciar é sim ver os detalhes, mas os detalhes dentro do projeto, dentro daquilo que foi proposto: deve saber delegar tarefas e fazer o acompanhamento (follow up) delas, sem entretanto cercear o como as pessoas trabalham.
É preciso assim entender não apenas aquilo se foi proposto, mas também saber faze-lo e saber delegar e entender que cada um possui um ritmo e técnica diferentes.

Compartilhe isso:

Share on facebook
Share on twitter

Você também vai gostar desses posts

GERALDO VEIGA

Diretor Executivo da Duplo Foco

Diretor Executivo da Duplo Foco
Construiu sua carreira profissional entre São Paulo e Rio de Janeiro, nas áreas de serviços Financeiros, Construção Civil, Bens de Consumo, Telecomunicações e Tecnologia da Informação. Possui mais de 25 anos de atuação empresarial definindo e implantando ações de estratégias empresariais em Marketing e Finanças. Administrador pela Escola Superior de Administração de Negócios (FEI-SP), com MBA em Marketing de Serviços e MBA em Gestão de Negócios TI pela FGV-RJ. É Mestre em Administração de Empresas pelo Ibmec-RJ (MsC) com especialização pela UFRJ- Coope-Crie em Web Intelligence e Analítica de Dados. Atualmente produzindo artigos na linha de pesquisa do campo da gestão e visualização de dados para empresas e novos produtos.

ALCANCE SEUS OBJETIVOS E APRIMORE
A GESTÃO DA SUA EMPRESA
%d blogueiros gostam disto: